segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

CADEIA NÃO SOPAPOS SIM

.
Leio que Zezito e Mário Soares trocam correspondência para fora e para dentro do chilindró. Não sei quantas foram as missivas—nem estou interessado em saber—e muito menos conhecer o conteúdo. Refiro só que no "Jornal de Notícias" online diz-se que, a páginas tantas, o Dr. Soares terá escrito: "A sua coragem e firmeza ética levam-me—e aos nossos imensos camaradas—a considerá-lo como uma grande figura do socialismo democrático, que sempre foi e é. Por isso também o estimam tanto."
Este bocado chega e até sobra. Noto que, desta vez, a ética não é republicana. Terá sido lapso do Dr. Soares—lapsus memoriae, fruto da idade. Acontece-me muito também.
Mas fiquei a saber, e isso é importante, que Zezito é, e sempre foi, grande figura do socialismo democrático. Se é assim, mal vão as coisas no socialismo democrático. Como serão os outros? 
Não me refiro a eventuais trafulhices que lhe deram a qualidade de detido número 44 da cadeia de Évora. Refiro-me à ruína do País, cujas consequências estamos todos a sentir, especialmente os mais desfavorecidos. Mas, em matéria de ruína Pátria, o Dr. Soares é profundo conhecedor e grande especialista. Consequentemente, isso não o impressiona. A experiência ensinou-lhe que tais coisas não merecem cadeia—resolvem-se com uns sopapos populares e fica o pecado expiado.
.

Sem comentários:

Publicar um comentário