domingo, 21 de dezembro de 2014

TEM PORTUGUÊS QUE É CEGO !

.
Chega o Natal e os meus amigos inundam-me de cuecas e meias. Triste fado. Mas por que motivo eu não terei um amigo como o amigo de José Sócrates? Uma pessoa lê a imprensa e depois conclui que: a) o amigo emprestava dinheiro – milhares de euros, em mão – ao gosto do freguês; b) o freguês – acrescentam os jornais – nem faz ideia de quanto o amigo lhe emprestava; c) não bastasse o dinheiro e Carlos Santos Silva ainda lhe pagava motorista, férias e casa em Paris; e d) se a família Sócrates tinha casas para vender na parvónia, o amigo atravessava-se sem hesitar. Um amigo que empresta como um poço sem fundo é uma raridade bíblica. Um amigo que até nos compra uma casa no Cacém é o quê? Eu, se fosse o dr. Cavaco, esquecia Sócrates e mandava chamar o amigo para as condecorações oficiais. Um homem destes é um exemplo nacional e, em certas esferas, talvez um caso de santidade. 

João Pereira Coutinho in "Público"
.

Sem comentários:

Publicar um comentário