segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

FOTOGRAFIA DO DIA

.
.
No site da Câmara Municipal de Lisboa, lê-se o seguinte:

O aumento do número de pombos e de queixas dos residentes em Lisboa é um facto. Os incómodos causados pelas aves que se traduzem em riscos para a saúde pública, na destruição do património edificado, dos monumentos e dos pavimentos, bem como a identificação de agentes patogénicos nas aves, levaram a Câmara Municipal de Lisboa a efetuar o controlo da população columbófila na cidade.
Tendo por objetivo atingir o equilíbrio da espécie pelo controlo da reprodução das aves, a solução adotada replicou (com as devidas alterações) uma metodologia testada com êxito em algumas cidades europeias, nomeadamente Veneza e Treviso. [...]

Em resumo, os pombos são uma praga que aflige Lisboa e seus moradores, tal como acontece em muitas outras cidades portuguesas e da Europa—Veneza que o diga—e o seu número tem de ser reduzido drasticamente. A Câmara tem em marcha um método anticoncepcional para o conseguir, iniciativa mais que louvável.
Não se pede aos munícipes que andem com uma espingarda na mão para matar pombos. Mas o mínimo que se espera é não os alimentar e ajudar a medrar. Ao espectáculo retratado hoje na imagem em cima, assisto todos os dias. A intenção é generosa, mas as pessoas que dão milho aos pombos estão a pôr em risco a sua saúde, as dos seus e a dos outros munícipes. Por favor, deixem as autoridades tratar do assunto.

Sem comentários:

Publicar um comentário