quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

"HOMO SAPIENS" NÃO É BURRO . . .

.
.
Falamos em tempos da entrada da sonda Cassini na atmosfera de Saturno e da sua destruição pelo atrito com a atmosfera do planeta que a "queimou". Os 
gazes podem produzir elevadíssimas temperaturas em objectos em movimento a grande velocidade no seu seio. Sendo assim, porque não se incendeiam as naves espaciais quando voltam à Terra, como os veículos das missões Apolo, ou as naves que trazem os tripulantes da Estação Espacial Internacional de volta? Se qualquer desses transportes entrasse na atmosfera terrestre directamente e na vertical, era certo que seria incinerado, o que é impensável com seres humanos lá dentro. 
Então, há formas engenhosas de evitar isso. Não vou explicar com muito detalhe a quem não sabe — até porque o conhecimento que tenho é mais que superficial — mas, em resumo, a técnica consiste em abordar a atmosfera terrestre com um ângulo "fechado", de modo a viajar em "ares mais frescos" enquanto as naves desaceleram, com menor atrito em órbita helicoidal. Assim se consegue chegar ao solo com muito menos aquecimento pelo atrito e com os passageiros em boa forma física.
.

Sem comentários:

Publicar um comentário