terça-feira, 1 de setembro de 2015

JOGO BRANCO

.
O jornal "Público", suponho que pela pena da sua directora, escreve hoje sobre os debates políticos pré-eleitorais nas estações de televisão e considera que, globalmente, o seu interesse é hoje diminuto.
Os que acompanham o actual regime desde a origem em 1974 lembrar-se-ão do ambiente que acompanhava essas jornadas televisivas a que se assistia com justificada expectativa. Hoje tenho dúvidas se nos cafés onde as televisões estão sintonizadas para os debates as pessoas não pedem para mudar de canal.
É claro que, há 40 anos, a novidade era um factor importante que alimentava o interesse. Mas, independentemente disso, existirão outras causas para o desinteresse vigente. Desde logo, o crédito, ou a falta dele, dos políticos intervenientes. Político é hoje um vendedor de jogo branco para a maioria dos portugueses. Vende baixa de impostos, aumento do emprego, crescimento económico, segurança social e um ror de outras coisas chochas de que se esquece muito depressa. É a versão actual do negociante de muares nas feiras.
Os pequenos partidos adoram debates por constituírem caixa de ressonância que amplia o seu modesto papel. Mas, em boa verdade,  não lhes servem para nada. Debate televisivo é perda de tempo. É um atraso de vida.
..

Sem comentários:

Publicar um comentário