quinta-feira, 30 de outubro de 2014

HÁ CADA ARTOLAS !

.
Cada vez que a NASA lança um foguetão, há dois técnicos de segurança com uma tarefa complicada, ingrata e difícil: após o lançamento, devem decidir em segundos se deixam o foguetão seguir ou se dão ordem para o destruir de imediato. Se o destroem erradamente, atiram com milhões de dólares (no último caso foram 200) para o lixo, de repente e sem justificação. Se o deixam seguir indevidamente, pode ocorrer uma catástrofe incontrolável, com eventuais vítimas humanas e prejuízos tão ou mais elevados que se o destruíssem à partida.
Dir-me-ão: Ah!... têm aparelhos sofisticados para controlar o comportamento da besta. Fique a saber que não têm: é tudo a olho. Na área dos lançamentos, há tantas estruturas construídas que os aparelhos de avaliação do progresso do foguete funcionam mal e não são de fiar. O flight safety officer e o range safety officer têm de avaliar apenas com os olhos que o criador lhes deu. No meio de tanta tecnologia, é uma ironia isto.
Na hora zero, ninguém pode estar a menos de 3 km de distância da plataforma de lançamento; excepto a equipa encarregada de ali trabalhar, que se abriga em construções blindadas. Os dois pacóvios da segurança referidos, estão de peito feito e na rua, a espreitar por uma bitola por onde é suposto a nave passar e a controlar 10 parâmetros. Se não acham bem, dão ordem para a explodir e correm para os abrigos. Foi o que fizeram na Terça-Feira passada. Ainda não se sabe se o foguete explodiu antes de eles terem accionado a autodestruição ou depois. Mas a ordem deram.
Há maneiras mais simples de ganhar a vida!!!

.

Sem comentários:

Publicar um comentário