sábado, 24 de junho de 2017

AS ÁRVORES MORREM DE PÉ

.
.
Este plátano, além do que está à vista na fotografia e é banal em Lisboa, já danificou seriamente a tubagem do esgoto do prédio que tem em frente, em busca de água, e tapa as suas janelas; mas continua lá — as árvores morrem de pé!...
Um pinheiro manso inofensivo, plantado há 35 anos pela minha mulher, não muito longe deste plátano facínora, foi sumariamente abatido há poucos meses. Nem todas as árvores morrem de pé — algumas morrem, estupidamente, a golpes de serra mecânica!
E pelo Medina não vai nada?!
.

Sem comentários:

Publicar um comentário