terça-feira, 20 de junho de 2017

THIS IS THE TIME TO BE ALIVE

.

Já há poucos locais sem sons produzidos pela actividade humana e cada vez há menos. Não sei se é bom, se é mau, mas é um facto. Um dia, não longínquo, a memória auditiva do homem será constituída quase exclusivamente por sons de motores, rádios, televisões, palradores, martelos e berbequins, festas e foguetes, manifestações, aviões, condicionadores do ar, ventoinhas, comboios, políticos, vendedores de banha de cobra — peço desculpa por me repetir —, foguetes e bombos. É a vida.
Mas há quem se rale com isso, atitude provavelmente inglória, embora louvável. O ecologista Gordon Hempton é um deles. E lá anda ele, qual D. Quixote, com o microfone e gravador às costas, a registar para a posteridade a música da Natureza. É, no mínimo, bonito, sobretudo quando a empreitada é acompanhada do registo de imagens como as que se vêem no vídeo a que pode aceder, clicando na figura aqui em cima.

.

Sem comentários:

Publicar um comentário