domingo, 29 de março de 2015

A DESCONFIANÇA DO MUNDO

.
.
[...] Aos poucos, percebe-se que o MP não possui quaisquer indícios que incriminem José Sócrates e recorre a puros delírios. E o desespero evidencia-se no momento em que, após a desastrada história da linguagem cifrada, se lançou para aí a tese de que José Sócrates não escreveu A Confiança no Mundo, cabendo a tarefa a um professor indistinto. Mais um tiro no pé. Ao acusar José Sócrates, o MP apenas lhe confere maior grandeza: sempre duvidei de que um indivíduo daquele gabarito intelectual assinasse tamanha porcaria. Não duvido é de que, do alto da sua inabalável ética, ele mandasse comprar quase todos os exemplares para poupar os leitores à ironia de acabarem torturados enquanto liam um texto sobre tortura. Citando um recente hino de homenagem: obrigado, José Sócrates - podem dizer, podem falar, podem inventar que ele não vai mudar.
.
Alberto Gonçalves in "Diário de Notícias"
,

Sem comentários:

Publicar um comentário