quinta-feira, 27 de agosto de 2015

FAR WEST

.

Mais duas mortes chocantes provocadas por arma de fogo ocorreram ontem nos Estados Unidos. A notícia deu volta ao mundo por se tratar de jornalistas abatidos à vista de todos no exercício da profissão. Embora com pouca informação precisa, posso dizer que, em média, 89 pessoas são mortas por dia naquele País em incidentes com armas de fogo. Olhando para este dado, é muito provável que outros casos semelhantes tenham ocorrido ontem sem que saibamos.
O mais preocupante é que em 40% destes casos as armas utilizadas tenham sido vendidas sem nenhuma verificação do perfil do comprador. Adicionalmente, diga-se que a Virgínia, onde ocorreu o crime de ontem, é  um dos Estados onde o controlo da venda de armas é menos rigoroso. E é hoje sabido que há um nexo de causalidade claro entre a forma como se controla a venda das armas e a frequência dos crimes.
O tempo dos cowboys, do Far West, da luta pela independência e outras relíquias contempladas na Segunda Emenda da Constituição, são fósseis históricos que já deviam estar encaixotados no sótão de um museu. Do alto da minha ignorância jurídica e histórica penso que a Segunda Emenda diz o seguinte: "Sendo necessária à segurança de um Estado livre a existência de uma milícia bem organizada, o direito do povo de possuir e usar armas não poderá ser infringido". São coisas de outros tempos. Daqui até poder comprar uma carabina como se compra um pacote de pastilha elástica, vai alguma diferença. Acontece é que há uma legião de artolas com a mania da pistolas e das espingardas. Mais nada.
.

Sem comentários:

Publicar um comentário