domingo, 23 de julho de 2017

PERDOAI-LHES, SENHOR, PORQUE NÃO SABEM O QUE DIZEM

.
O que está a ser feito ao dr. Gentil Martins a propósito das considerações que teceu sobre os homossexuais [...] é grave. Não está em causa saber se o dr. Gentil Martins tem ou não tem razão (eu acho que não tem). Nem está em causa o direito que assiste aos que dele discordam de contestar as suas ideias com a veemência toda que entenderem. Mas está em causa que daí se passe à ameaça e à perseguição. Pois foi a isso que assistimos na última semana: não à refutação (já não digo civilizada mas, ao menos, ordeira) das afirmações do dr. Gentil Martins, mas ao insulto e à intimidação.
.
Os argumentos usados são um disparate. Gentil Martins é colocado no pelourinho por, sendo médico, ter feito afirmações supostamente ao arrepio da “verdade científica”. Eu percebo que gente como a deputada Isabel Moreira não faça a mínima ideia do que é uma “verdade científica”. Mas já me custa ver a professora Ana Matos Pires repetir a tolice. A professora Ana Matos Pires deve saber que as “verdades científicas”, ao contrário de outras “verdades” (religiosas ou ideológicas), não passam de hipóteses de trabalho. A ciência médica não tem, portanto, verdades sobre a homossexualidade, como não tem nem deve ter verdades sobre coisa nenhuma. Nem, de resto, são elas necessárias. O respeito pelas orientações sexuais de cada um não é matéria de ciência, mas de educação e civilidade. [...]
.
Luís Carvalho Rodrigues in "Observador"

.

Sem comentários:

Publicar um comentário