quinta-feira, 25 de outubro de 2012

EGOÍSTA, MOSÓGINO, LEVIANO

.
Einstein tem a imagem pública do sábio genial, sem que alguém fale da sua vida privada, especialmente do comportamento nas primeiras décadas, antes de ser consagrado pela Teoria da Relatividade. Em boa verdade, há um livro publicado há mais de dez anos por Dennis Overbye, editor de ciência do "The New York Times" na época, pouco conhecido, provavelmente forçadamente esquecido, que deixa no ar a afirmação que Einstein era um traste, com comportamentos inaceitáveis.
O físico enganava a mulher, Mileva, sérvia e também física, que sovava regularmente e a quem pode ter ficado a dever a ideia da relatividade. Farto, desembaraçou-se dela para casar com a prima, Elsa. Para completar o ramalhete, desprezava o filho mais novo que sofria de esquizofrenia. Em traços gerais, Overbye descreve o homem como egoísta, misógino e um leviano rasca, chegando ao ponto de cortejar a filha da segunda mulherElsaque felizmente lhe deu com os pés. Segundo Overbye, "trabalhava como um cavalo, fumava como uma chaminé e alimentava-se de salsichas baratas e biscoitos".
Globalmente, uma náusea inesperada!
.

Sem comentários:

Publicar um comentário