quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

“ET TU , BRUTE ?”

.
.
Tenho recebido mensagens a acusar-me de "falta de respeito pela vontade do povo grego". Mas sem razão. Por minha parte, até gostaria que o Governo Syriza pudesse realizar muitas dos seus compromissos políticos, como a separação da Igreja e do Estado, a reforma fiscal e outros que estão ao seu alcance e que só dependem de si. O que porém não faz sentido é que o Governo grego invoque a vontade democrática dos gregos para exigir medidas que dependem da vontade (e do dinheiro) dos cidadãos de outros países. Democracia é autogoverno, ou seja, governo da própria "casa", e não governo da casa dos outros, que também têm direito a autogovernar-se sem imposições alheias.
Não vejo por que é que os demais cidadãos europeus hão de arcar com os custos das irresponsáveis promessas de "fim imediato da austeridade" com que o Syriza ganhou as eleições na Grécia.
.
Vital Moreira
..
(Com colaboração de Fernando Pena de Sousa)
.

Sem comentários:

Publicar um comentário