terça-feira, 18 de abril de 2017

CAIR EM SI, EXPRESSÃO IDIOMÁTICA

Ontem comentava-se, neste espaço tautológico de escárnio e maldizer, a ida de Marcelo "Esteves", Presidente da República Portuguesa pela Graça de Deus, ao local da queda de um avião, próximo de Tires, onde chegou quase antes, se não antes, dos bombeiros. 
Verifico agora que "Esteves" caiu em si e até ele achou demais — Marcelo "Esteves" veio hoje explicar aos portugueses, com um nadinha de pudor, percebe-se, porque acorreu ao local do acidente — Estava próximo de Tires, localidade onde a queda de uma aeronave fez cinco mortos, e, por esse motivo, quis passar onde aconteceu uma tragédia que "podia ter sido muito pior, disse esta manhã.
Está tudo explicado! Marcelo "Esteves" não olha a protocolos! Se a tragédia fosse pior, não esperaria que bombeiros e outros mortais extinguissem o fogo e seria o primeiro a tirar casaco, gravata e sapatos, e caminhando literalmente sobre brasas, se necessário, avançaria para resgatar fosse quem fosse, onde quer que fosse, fossem as condições que fossem! Fosse Marcelo "Esteves" dotado de um nadinha de senso comum, ou fossem os portugueses sensíveis ao ridículo da falta de senso, já lhe tinham dito que fosse fazer teatro para outra freguesia. 
.

Sem comentários:

Publicar um comentário