terça-feira, 25 de abril de 2017

ELIXIR DA LONGA VIDA ?

.
.
Sabe-se hoje que o envelhecimento humano pode ser avaliado bioquimicamente através do estudo das alterações chamadas de metilação do ADN. O erro, em relação à idade cronológica, é mínimo. São, portanto marcadores do envelhecimento seguros. O que não se conhece é o seu significado, isto é: são consequência do envelhecimento, ou são causa do envelhecimento? Naturalmente, isso é o importante — se são causa, dá para tentar descobrir o elixir da longa vida.
Porém, ninguém está eticamente autorizado a fazer experiências em seres humanos para tirar dúvidas; nem no Kim Jong-un! O ideal são os sempre tramados ratinhos, enquanto sensíveis almas não se organizarem socialmente para proibir tais barbaridades.
E a boa notícia é que investigadores do European Molecular Biology Laboratory, European Bioinformatics Institute, do Reino Unido, conseguiram demonstrar que o observado no homem se passa igualmente em ratinhos (azar o deles), permitindo manipular as ditas alterações do ADN para tentar retardar — mesmo inverter — o envelhecimento, esperando-se que não resulte daí nenhum Fankenstein.
O trabalho foi publicado a semana passada, 11 de Abril, na revista Genoma Biology, e — embora presuma que não tem pachorra para tal — pode lê-lo aqui
.

Sem comentários:

Publicar um comentário