terça-feira, 13 de dezembro de 2011

O BOSÃO DE HIGGS

.
Surgem notícias de que os investigadores do Large Hadron Collider (LHC) do CERN, na Suíça, se estão a aproximar do local onde pode residir o bosão de Higghs. Perguntar-se-á qual o interesse de tal notícia. O interesse é relativo e depende da perspectiva. O facto de sabermos se existe o bosão, e onde se encontra no átomo, não modifica muito, assim de repente, a forma como somos afectados pela austeridade: indiscutível. Mas faz toilette demonstrar que a partícula existe porque permite explicar o Universo; ou antes, permite demonstrar que a explicação “oficial” corrente está correcta. Uma trapalhada!
Na realidade, o modo como funciona a matéria está descrito numa teoria chamada Modelo Padrão, concebida por físicos teóricos. Conhecem-se todas as partículas atómicas e sub-atómicas, com excepção de uma: a que, nessa teoria, gera o campo capaz de fazer com que as partículas conhecidas constituam a massa e não se dispersem pelo espaço à velocidade da luz.
Em 1964, seis físicos, incluindo o físico Peter Higgs, de Edimburgo, “inventaram” o bosão e resolveram a charada. Mas o bosão, por enquanto, não é senão um palpite intelectual que dava muito jeito se existisse. Mais nada! ... Por isso se trabalha tão afanosamente no LHC há vários anos à caça do janota. Agora, dizem os investigadores, estão quase a encurralá-lo: é possível que, no próximo ano, já existam novidades. Ficamos à espera.
.
Na imagem, Rolf-Dieter Heuer, director-geral do CERN, explica como deve parecer o bosão de Higgs. ...
.

Sem comentários:

Publicar um comentário