segunda-feira, 31 de maio de 2010

NEAR-DEATH EXPERIENCES



Há vários relatos de pessoas que estiveram em cima da linha limite entre a vida e a morte e voltaram. Alguns dizem ter estado rodeados de intensa claridade; outros em estado de enorme paz interior, enquanto caminhavam para um túnel cheio de luz; ou a ver figuras religiosas, como Jesus e Maomé; ou ainda a flutuar sobre o leito de morte a observar-se naquela cena.
Segundo o Dr. Lakhmir Chawla, médico de cuidados intensivos no centro médico da Universidade George Washington, tais vivências têm explicação fisiológica e não parecem ser metafísicas. Com o uso da electroencefalografia a monitorizar doentes terminais para averiguar se sentem dores, o Dr. Chawla verificou que todos os moribundos têm, pouco antes de morrer, uma “explosão” eléctrica cerebral desencadeada pela falta
de oxigénio, que começa numa parte do cérebro e se espalha em cascata ao resto do órgão. Dura de 30 segundos a 3 minutos e pode explicar as near-death experiences, como são conhecidas na literatura médica internacional.
Por vezes, há reservas em relação a estas explicações fisiológicas, por serem consideradas formas de tirar sentido sagrado à vida. Nada mais errado: tudo o que existe tem mecanismos explicáveis, independentemente serem conhecidos ou desconhecidos, ou de terem intervenção divina ou não, conforme as crenças. As leis da Física e da Biologia não foram criadas pelo homem; já existiam antes dele. A Ciência nunca disse que Deus não existe – fazê-lo seria obscurantismo. Mas negar a Ciência em nome de Deus é igualmente obscurantismo; e já produziu resultados trágicos ao longo da História. Já chega!
.

Sem comentários:

Publicar um comentário