domingo, 18 de novembro de 2012

DO TEMPO DO ARROZ DE QUINZE

.

O "RSA Insurance Group", companhia de seguros inglesa com sede em Londres, está a mudar as instalações para outro local da cidade. Na balbúrdia da mudança, foram encontrados documentos no sótão com valor histórico inesperado. Entre eles, as apólices de seguro da casa e escritório de Charles Darwin em Kent; da casa do Capitão Cook, segura contra incêndios quando Cook andava no mar (o "Telegraph" não explica o que se passava quando estava em terra e se, além de marinheiro, era bombeiro e não precisava de seguro); da residência de Charles Dickens em Marylebone,  e ainda de mais gente ilustre.
Entre os papéis está também o pedido de indemnização da "White Star Line" à "Royal Insurance"—agora integrada no "RSA Insurance Group"—pelo afundamento do "Titanic", de que era uma das seguradoras. Pelo "Titanic" pagou a companhia cerca de 330.000 euros a preço actual, o que nos parece uma insignificância. Mas é preciso explicar que o navio, dado o seu valor, equivalente 1 milhão de libras actuais (1.247 milhões de euros), estava seguro em mais de 100 companhias.
O valor de 1 milhão de libras pode afigurar-se pequeno para tanto espalhafato com o "Titanic", mas diga-se que era provavelmente o maior seguro feito na época para um navio. Como curiosidade, refira-se ainda que o naufrágio acabou por ser útil para as companhias de seguros porque permitiu corrigir erros na indústria da construção naval, diminuindo-lhes encargos com pagamento de indemnizações. Há males que vêm por bem.
.

Sem comentários:

Publicar um comentário