sexta-feira, 30 de novembro de 2012

O GRANDE ESCAVADOR

.

O homem tornou-se num escavador imparável—faz buracos e cava túneis por tudo quanto é sítio no planeta. Nos últimos 60 anos refinou a actividade de toupeira, movendo actualmente sedimentos e material rochoso da Terra três vezes mais do que todos os rios, glaciares, vento e chuva. Os rios movimentam em conjunto 13 gigatoneladas—milhares de milhões de toneladas, ou  GT—por ano, sendo que a Muralha da China, para se ter ideia do que isso representa, corresponde a 2 GT. Só de carvão, o homem extrai 9 GT anualmente, com a perspectiva do número subir para 13 GT em 2030. Acrescem depois 2 GT de minério de ferro, o petróleo, o gás natural, os diamantes, o mármore, blá, blá, blá. 
Nos Estados Unidos há 568.000 minas abandonadas e milhões no mundo inteiro, transformando a terra num queijo suíço. Em muitos locais, as populações de áreas pobres foram espoliadas das suas terras e envenenadas pela actividade mineira. E os mineiros morrem quase como os tordos—só na China, são mais de 50 por semana.
O que o homem procura e extrai levou muitos anos a fabricar. Os metais foram feitos nas estrelas por fusão nuclear há milhares de milhões de anos; e o petróleo e o carvão são produtos da Terra, feitos a partir de florestas sepultadas há mais de 300 milhões de anos. Com o actual ritmo de extracção, vão acabar e não vamos poder esperar que se formem mais em tempo útil. Catita, não?
O homem auto-intitula-se Homo sapiens e diz ser o único animal racional. Está à vista!
.

Sem comentários:

Publicar um comentário