segunda-feira, 24 de novembro de 2014

JÁ DIZIAM OS ROMANOS

.

No artigo do "Expresso" citado abaixo, há pouco mais de uma hora, José Gomes Ferreira, escreve também:

[...] Não, o que está a acontecer em Portugal, com a queda do Grupo Espírito Santo e de Ricardo Salgado, as detenções de altos funcionários públicos no caso dos Vistos Gold e a detenção de José Sócrates, não é uma desgraça: é a Grande Clarificação do Regime, a derrocada do Crony Capitalism, o capitalismo lusitano dos favores e do compadrio.
É revoltante saber que o Parlamento aprovou sem hesitar todos os regimes especiais de regularização tributária, os RERT I, II e III, quando sabiam que a respectiva formulação jurídica iria apagar todos os crimes fiscais associados à repatriação do dinheiro de origem obscura que tinha sido posto lá fora. Os deputados foram previamente avisados desse gigantesco efeito de "esponja" pelos mesmos altos responsáveis tributários que me avisaram a mim...
Os mesmos RERT que passaram uma esponja sobre as verbas de Ricardo Salgado e as do receptador agora identificado no caso do ex-primeiro Ministro. 
Mas há esperança. Tal como o País está a mudar, o Parlamento também há-de mudar.[...]

 Está quase tudo certo. Aquilo em que Gomes Ferreira se engana está escrito no último parágrafo. Não! Não há esperança nenhuma. Nem muda o País, nem o Parlamento, nem o Governo, nem os portugueses—o problema é genético. A menos que ocorra uma mutação, ou alguns de milhares de mutações, continuaremos entregues aos bichos.
.

Sem comentários:

Publicar um comentário