quinta-feira, 20 de novembro de 2014

VELHOS, EXAUSTOS E POBRES

.
Os políticos viram no ano passado suspenso o pagamento das chamadas subvenções mensais vitalícias atribuídas a ex-titulares de cargos políticos com rendimentos mensais médios superiores a 2.000 euros. O mesmo estava previsto no Orçamento do Estado para 2015. Mas o inefável Lelo com dois lês e Couto dos Santos, que não sei se é inefável e não tem sequer um lê, propuseram o fim de tão gritante injustiça; e o PS mais o PSD aprovaram a feliz  e inspirada ideia do inefável e do não identificado em matéria de inefabilidade, com regozijo geral da posta do meio, também chamada bloco central. Graças a Deus, fez-se justiça.
E digo graças a Deus porque quase todos os ex-políticos, nas suas actuais profissões, pouco mais auferem que os 2.000 euros e sem aquela subvenção vitalícia correm sério risco de morte por inanição. Todos, ou perto disso,  abandonaram o labor político exauridos, em estado de quase caquexia decorrente do empenho doentio investido no serviço público—uma tragédia! 

Sem comentários:

Publicar um comentário