sábado, 31 de janeiro de 2015

AUXOLOGIA



Diz o "Expresso" que os sectores mais à esquerda do PS não estão a receber com muito entusiasmo a hipótese de o ex-comissário europeu, António Vitorino, poder vir a ser o candidato presidencial do PS. E porquê?—perguntar-se-á.
Tanto quanto leio no mesmo jornal, acham que Vitorino tem qualidades para ser excelente Presidente da República, mas apontam-lhe falta de dimensão.
Aqui estou em desacordo. O crescimento e o seu resultado, a que penso se referem os politiqueiros do PS, é objecto duma ciência chamada Auxologia e não é coisa fácil, mesmo para bibliófilos como o Dr. Soares que, inclusive, já leu o livro do professor Stephen Emmott mais de uma vez. Passo a explicar.
Avaliando o Dr. António Vitorino, constata-se que o eixo ânteroposterior, entre o umbigo e a coluna vertebral, está bem, talvez um nadinha excessivo—só isso. Quanto ao eixo transversal, ou distância entre rodas, a mesma coisa. Isto é, nestes componentes da dimensão, o Dr. Vitorino, se peca, é por excesso—não lhe falta dimensão coisa nenhuma.
Penso que estarão os ditos janotas—a esquerdalhada da ética republicana—a referir-se à distância entre o encéfalo do ex-comissário europeu e os pés do mesmo ex-comissário. Aí talvez se verifique pequena incorrecção, por defeito, mas nada preocupante. Mostra a Auxologia—e a experiência—que o encurtamento desse parâmetro não aumenta o risco de ocorrer troca da sede do pensamento. A percentagem de indivíduos a pensar com os pés é praticamente a mesma, sem diferenças estatisticamente significativas, entre compridos e curtos e sempre inferior à dos "históricos" do PS que pensam quase todos com as extremidades inferiores.
Assim, acho o Dr. Vitorino candidato excelente, e muito melhor até que António Guterres que é um homem bom, mas tem um defeito: espeta o cu.
.

Sem comentários:

Publicar um comentário