terça-feira, 27 de janeiro de 2015

'INTERNATIONAL DARK-SKY ASSOCIATION'

.
.
.
Falo às vezes na poluição luminosa nocturna do céu a respeito da impossibilidade de ver as estrelas propriamente ditas—não as que Passos Coelho e Maria Luís nos fazem ver—e, para ser franco, nunca tinha pensado muito nisso. Hoje "caí" num site duma organização chamada International Dark-Sky Association, o mesmo que Associação Internacional do Céu Escuro e fiquei a saber que a poluição luminosa tem problemas insuspeitados para muitos, eu incluído. Desde a conhecida interferência com funções fisiológicas de ritmo circadiano, reguladas pela alternância do dia e da noite, até ao comprometimento de outras formas da vida e dos movimentos migratórios na biosfera, aos custos energéticos, que representam milhões de milhões de dracmas e milhares de milhões de toneladas de lixo.
Há poucos séculos, a Via Láctea era visível à noite em quase todo o território dos Estados Unidos. Hoje 99% da população americana vive em áreas onde nunca a viram—recordo-me de a ver em criança, mas até já me tinha esquecido disso.
O vídeo em cima, da referida Associação, com legendas em inglês fáceis de acompanhar, dá uma panorâmica do problema—muito bem feito.
.

Sem comentários:

Publicar um comentário