sábado, 21 de setembro de 2013

OS DIAS CONTADOS

.

A vida nos planetas só é viável se a temperatura ambiente permitir a existência de água no estado líquido—se for muito alta, transforma-a em vapor, se muito baixa, em gelo. A Terra está em boas condições, pois fica incluída em espaço habitável que tem um limite interno—mais próximo do Sol—e outro externo, mais afastado. É como o espaço entre duas esferas ocas e concêntricas.
Mas a zona habitável vai-se deslocando: à medida que o tempo passa, os seus limites afastam-se do Sol e chegará o dia em que a Terra ficará fora. A partir daí, a vida desaparece no planeta.  O movimento de expansão da zona habitável tem a velocidade aproximada de um metro por ano, dizem estudos recentes. Feitas as contas, a Terra fica fora, do lado interno da zona, dentro de 1,75 mil milhões de anos—um pouco mais, segundo parece, do que se estimava até aqui (mil milhões de anos).
Poderá pensar-se que, nessas condições, a vida se tornará viável em planetas do Sistema Solar mais afastados do Sol. O problema é que a viabilidade não depende só da temperatura, mas também do tipo de atmosfera e outras características geológicas. Diz  um dos autores (Mark Claire) do recente artigo sobre a matéria, publicado na revista "Astrobiology" e abundantemente citado na imprensa mundial: "If humans are going to be around in a billion years, I would certainly imagine that they would be living on Mars". 
.

Sem comentários:

Publicar um comentário