terça-feira, 24 de setembro de 2013

SERÁ QUE . . .

.
[...] Se os governos (ou quaisquer outras entidades) puderem olhar para o passado e alterar unilateralmente as regras e os princípios que antes fundamentaram e forjaram uma determinada relação ou obrigação, então tudo será possível em nome dessa suposta justiça retroactiva e a ansiedade instalar-se-á. Será que os meus filhos podem ser obrigados a repetir o secundário porque tiveram o "privilégio" de passar de ano sem realizar exames, o que já não acontece aos alunos de agora? Será que o imposto que paguei quando comprei a minha casa irá ser recalculado? Será que o contrato que estabeleci pode ser anulado ou alterado pelo simples facto de se constatar que há outros menos favoráveis? Será que... Os exemplos de incertezas podiam multiplicar-se indefinidamente porque o mundo está cheio de situações desiguais, algumas das quais decorrem do simples facto de terem ocorrido em momentos diferentes do tempo e ao abrigo das regras então vigentes. [...]

João Pedro Marques in jornal "i"
.

Sem comentários:

Publicar um comentário