segunda-feira, 28 de abril de 2014

PAGAR MAS BUFAR

.

"A Associação de Municipios estima que cerca de 30 autarquias estejam asfixiadas financeiramente, ao ponto de algumas terem mesmo o pagamento dos salários em risco a muito curto prazo. O fundo de apoio municipal está previsto na lei das finanças locais mas tarda em ser criado. Os autarcas não compreendem o atraso e dizem que a situação é insustentável." Rebabá.

Isto lê-se nos jornais de hoje, lia-se nos jornais de há meses e há-de ler-se nos dos anos vindouros. Os autarcas, como Menezes em Gaia, fazem dos seus mandatos campanhas eleitorais, gastam o que não têm, endividam-se até aos colarinhos e depois o fundo de apoio municipal que pague as suas asneiras que configuram gestões danosas. O problema é que o dito fundo paga com dinheiro dos contribuintes. Se não há outra solução, pois que paguem os contribuintes. Mas o senhor Luís Filipe Menezes deve ser o primeiro a pagar até ao limite do seu património e rendimento. A dívida que deixou ascende a 316 milhões de euros, sem falar das empresas municipais. Com uma receita anual de 125 milhões, excedeu o limite legal da dívida em 40 milhões. Óh égua! (veja aqui um vídeo)
.

Sem comentários:

Publicar um comentário