terça-feira, 19 de maio de 2015

ESPAÇO MENTAL

.
.
O fruto do que faço tem de ser poesia, que acredito ser a medida de todas as coisas.

A casa do escultor catalão Xavier Corberó, nos arredores de Barcelona, é uma fusão de estúdios, galerias e livings—por vezes tudo na mesma divisão. Desde 1968 que se vão fundindo curvas e ângulos, meios naturais e construídos, luz e sombra; cada faceta fruto de uma ideia ou desejo que toma forma.
Segundo Corberó, criar espaço mental—não real—é o que importa. Por vezes, com surpresa, a realidade difere do concebido. O processo de criação transforma o inicialmente imaginado.
A conversa de Corberó soa um bocado a jogo de palavras sobre ideias mais ou menos banais. É o óbvio dito em termos incompreensíveis, parafraseando Alfred Knopf a respeito dos economistas. A casa é inesperadamente original, embora pelas imagens não faça o género de muita gente, eu incluído. Mas que tem um it qualquer, isso tem.
.
(Ver em ecrã completo)
.

Sem comentários:

Publicar um comentário