quinta-feira, 25 de junho de 2015

O ESTALEIRO JÁ SE ACABOU, A TAP ESTÁ-SE A ACABAR . . .

.
.
A propósito da venda da TAP e do coro desafinado de protestos que tem motivado, falei há dias dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo, como a TAP um cancro económico e social com anos de evolução, conservado meticulosamente em microclima artificial pelos adeptos do quanto pior, melhor, do costume. Hoje leio no jornal "Público" uma carta à Directora com que não posso estar mais de acordo e, por isso, transcrevo a seguir.
O Estaleiro já se acabou, a TAP está-se a acabar, falta o Metro mais a Carris, meu rico S.João dá-me um balão para eu brincar.
  
Havemos de ir a Viana...

Desde criança que fui habituado no mês de Agosto ir a Viana do Castelo assistir à Romaria da Senhora da Agonia e confesso que o que mais adorava era ver os cabeçudos a desfilar. Dei comigo a pensar nesta cena quando li há dias que os estaleiros navais estão a erguer-se graças à nova gestão que tem conseguido várias encomendas e com isso contratado e subcontratado algumas centenas de trabalhadores o que é óptimo para Viana, para o País e para a economia nacional e tudo isto após vários anos ter causado enormes danos a todos nós.
Pelos vistos, quando digo a todos nós, talvez seja um exagero pois ninguém esquece a romaria da brigada do quanto pior, melhor, que se deslocou à cidade foz do rio Lima em Dezembro de 2013 na tentativa habitual de impedir qualquer solução. Como se já não bastasse o rombo na época causado pela anulação da encomenda de dois ferryboats feita pelo governo socialista dos Açores, soube-se hoje que a eurodeputada socialista Ana Gomes continua na sua luta protestando contra a própria decisão de Bruxelas que foi favorável ao governo. Será difícil imaginar com que tamanho devem estar nesta altura as cabeças daquela brigada? Termino lembrando Amália, “Se o meu sangue não me engana, havemos de ir a Viana”, em homenagem àquela gente tão pura e trabalhadora.

Jorge Morais, Porto
.

Sem comentários:

Publicar um comentário