quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

MARIE COLVIN

.
.
Dois jornalistas foram ontem mortos na Síria pela tropa dessa besta chamada Bassar al-Assad: a americana Marie Colvin e o fotojornalista francês Remi Ochlik.
Habituado a ler reportagens de Marie Colvin, a notícia chocou-me. 
A jornalista, nascida em Nova Iorque, tinha 55 anos e trabalhava há anos para o Sunday Times. Escreveu reportagens de múltiplos locais em guerra, desde o Kosovo à Chechénia, incluindo muitos países árabes. Em 2001, foi ferida no Sri Lanca, perdendo o olho esquerdo.
Em 2010, ano em que recebeu o "Foreign Reporter of the Year Award", dos "British Press Awards", disse: “A nossa missão é descrever todos os horrores da guerra, com rigor e sem preconceito. Mas devemos sempre interrogar-nos se a história vale o nível de risco". Neste caso, claramente não valia, porque já todos percebemos quem é Bassar al-Assad. 


Sem comentários:

Publicar um comentário