segunda-feira, 23 de abril de 2012

CORRELAÇÃO NÃO É CAUSA

.
.
“Correlação não é causa” constitui um princípio científico simples e bom para reflectir. Como deve ser encarada a correlação em termos de causa/efeito? Por exemplo, quando se vê o relâmpago, espera-se o trovão porque este é causado pela descarga eléctrica. Neste caso, α provoca β – há causa/efeito na correlação.
Mas suponhamos que numa estatística quem trata melhor as unhas (α) vive mais anos (β). É α causa de β? Está a ver-se que não. Provavelmente porque quem cuida mais das unhas são as mulheres e as mulheres vivem mais que os homens por outras razões. Aqui, α não causa β porque α e β são causados por ϒ.
O aumento da velocidade dos movimentos das moléculas num corpo (α) acompanha-se de aumento da temperatura do corpo (β). É α que causa β? Não é. α e β são a mesma coisa. A radiação electromagnética (α) acompanha-se da emissão de luz (β).É α que causa β? Não – α e β são também a mesma coisa.
Tratámos de exemplos mais ou menos “carecas” e, por isso, simples. Mas nem sempre as coisas são tão claras. Em ciência de grande fôlego, o problema é às vezes complicado. Pegando numa matéria da ordem do dia e muito mastigada, falemos do aquecimento global. Há aumento do CO2 na atmosfera (α) e há aumento da temperatura do planeta (β). É α a causa de β? Talvez sim, talvez não! Quem sabe? Pode acontecer que α e β sejam ambos efeito de ϒ, ou até ser α causado por ϒ e β por δ! Blá, blá, blá... Uma trapalhada!
Deixemos as trapalhadas para quem gosta delas, neste caso os cientistas, e vamos falar de nós. É que o referido aplica-se a tudo, incluindo as coisas mais rotineiras da vida. O carro não pega de manhã e a bateria foi substituída há uma semana; logo, quem montou a bateria, ou pôs lá uma velha, ou não a instalou convenientemente. Raciocínio apressado porque há muitas outras causas para o carro não pegar, incluindo o facto da bateria do cartão (se tiver cartão) poder estar, ela sim, esgotada.
E, em matéria social, política, desportiva, etc., a probabilidade de tomarmos a correlação como causa e efeito é enorme, especialmente quando há um viés social, partidário, clubístico, e por aí fora; e há quase sempre. É a austeridade (α) causa da estagnação económica (β)? Ou são as duas consequência da causa ϕ, ou seja, do Zézito que anda a pavonear-se em Paris? ... Desisto...
...

Sem comentários:

Publicar um comentário