quinta-feira, 26 de junho de 2014

ARQUIMEDES DE SIRACUSA

.

É discutível fazer campeonatos de génio, mas há algum consenso sobre quem foram os três mais brilhantes matemáticos da História do Homo sapiens: Arquimedes, que viveu no Século III AC, Newton, no Século XVII AD, e Gauss, no Século XVIII AD.
Dos três, Arquimedes, conhecido pela história mal contada de ter saído nu para as ruas de Siracusa a gritar Eureka, depois de constatar que o nível da água da banheira subia o equivalente ao volume do seu rabo quando lá o metia, e de ter dito, em dia de inspiração, dêem-me  um ponto de apoio que eu levanto o mundo, terá sido o mais genial.
Arquimedes foi e é fonte de inspiração para histórias sobre comportamentos mais ou menos imprevistas da sua vida, até à morte. No dia em que morreu, terá sido abordado por um soldado romano que o iria chamar para comparecer perante o general Marcellus, após a invasão de Siracusa. Arquimedes, absorvido e debruçado sobre um problema matemático, terá respondido ao soldado qualquer coisa como: "Filho, afasta-te do meu diagrama". Furioso, o militar matou-o logo ali. Não se sabe se a versão corresponde à realidade, mas é bonita.
A imagem de cima é um retrato do sábio, pintado em 1620 por Domenico Fetti, e a da direita a reprodução de um mosaico com a ilustração da sua morte.

Sem comentários:

Publicar um comentário