terça-feira, 17 de junho de 2014

CHEIRA MAL, CHEIRA A DONINHA

.

Tozé é um nabo. Esta é uma afirmação que não carece de demonstração. Como escrevia há dias um jornalista, vê-se na cara. Mas Tozé deu o peito e, na sequência da debacle socrática, só ele e Assis avançaram. Outros, como Costa, meteram o rabo entre as pernas depois da banhada eleitoral e recolheram a penates, para local com ar mais fresco.
A memória dos eleitores é curta e, infelizmente, quase metade das jericadas do Zezito já caíram no esquecimento. Costa, com a conhecida ronha indiana, sabe disso e esperou melhor tempo para avançar. O anticiclone que circunda o País e a zona de baixas pressões na Rua de S. Caetano, com cavaladas em débito contínuo, criaram as condições meteorológicas para que cágados como Costa saíssem do estado de hibernação e surgissem com o punho esquerdo em riste contra Tózé.
Para falar depressa e claro, estou a cagar-me para ambos e é-me indiferente o que aconteça a um ou ao outro. Mas não posso deixar de manifestar alguma simpatia por Tozé. A conversa do sacana do Costa é assim: "Aquilo que eu tenho verificado em todos os sítios onde tenho ido é que a mobilização está a existir, quer de socialistas, quer de pessoas próximas do PS ou pessoas que têm tido percursos diversos e acreditam que é possível dar a volta à situação". Muito bem. Então porque não avançou contra Tozé quando este foi eleito Secretário-Geral? Porque não "deu a volta à situação" nessa altura?
Não avançou porque estava metido até aos colarinhos nas burrices do Zezito e precisava de tempo para que isso fosse esquecido. Tozé foi apenas um moço de fretes  para o período de nojo do PS. Agora que o nojo do PS está a acabar, o nojo do Costa é insuportável. Até à doninha cheira mal.  
.

Sem comentários:

Publicar um comentário