segunda-feira, 27 de março de 2017

ENSAIO SOBRE GEOMETRIA PLANA E ESPACIAL

.

Segundo os jornais, pela primeira vez foi encontrado um perdido — agora achado — não no Triângulo das Bermudas, mas no Triângulo do Marquês. São seis milhões — repito, seis milhões — de euros que se tinham "afundado" numa conta bancária em Portugal, em nome de Henrique Granadeiro, depois de uma "triangulação" Reino Unido/Suíça/Portugal, não necessariamente por esta ordem.
Tanto quanto se deduz da análise dos mapas do Triângulo das Bermudas, este é equilátero, ou perto disso, e acutângulo: três lados iguais e ângulos todos agudos. 
O Triângulo Marquês não!!!... seria demasiado "careca". Trata-se de um triângulo escaleno e obtusângulo, com os lados todos diferentes e um ângulo obtuso. Era este ângulo que deixava o Ministério Público também obtuso.
Agora, a investigação vai ser mais fácil. Procuradores e inspectores já frequentaram aulas de actualização em Geometria, leccionadas por Nuno Crato, e estão preparados para, praticamente, todas as figuras geométricas, sejam planas, sejam 3D. É que os protagonistas do processo "Marquês" utilizam umas e outras. Das primeiras, são particularmente exímios no trapézio aliás, já assistimos a excelentes números de voo sem rede. E nas figuras 3D dominam todos os poliedros é que poliedro significa muitas faces e nisso ninguém os bate!
.

Sem comentários:

Publicar um comentário