sexta-feira, 16 de setembro de 2011

O JARDIM DA MADEIRA

.
Na Madeira, além do buraco já conhecido recentemente de cerca de 500 milhões de euros, surge agora outro de mais de mil milhões, cuidadosamente escondido por Jardim. Tal facto vai obrigar a rever défices nacionais de anos passados e complica muito o plano de correcção das contas públicas ajustado com a troika.
Perante isto, que dizer? Seguro pediu que o PSD retirasse a confiança política em Jardim e com razão. O Presidente do Governo Regional comporta-se com o maior desprezo pelo resto do País. Partindo do reconhecido atraso da Região no antigo regime, tem cavalgado esse facto para obter do Governo Central condições de financiamento leoninas. Mas tal não lhe bastou: foi para além disso, até ao ponto de criar dívida não reportada às instituições competentes. É manifestamente um caso inaceitável, merecendo do “Finantial Times” a expressão de “Madeira, a ilha desonesta”. Receia-se bem que, com este senhor que governa o Arquipélago, Portugal vá alinhar na opinião pública mundial com a Grécia, especialista em aldrabar as contas do Estado. O futuro de Portugal já não é brilhante; mas com Jardim, receia-se o pior. E mais uma vez se pergunta se vale a pena ao PSD sustentar este senhor para ganhar eleições na Região Autónoma.
.

Sem comentários:

Publicar um comentário