terça-feira, 19 de março de 2013

A ESCOLA DO CADELA

.

Vítor Gaspar não esclareceu directamente qual a posição tomada por Portugal no que respeita à espoliação indiscriminada dos depositantes cipriotas, mas deu a entender que apoiou a medida. Com a consciência pesada pela burrice, dele e de mais uns tantos inspirados, apressou-se a dizer que a ideia da jericada partiu do representante de Chipre. Ou seja, Gaspar, repreendido pela professora por estar a fazer barulho na escolinha e a perturbar a lição, diz à mestra, apontando: "Não fui eu, foi aquele menino, Senhora Professora".
Se a bacorada foi do representante do Chipre, as nossas felicitações pois saiu um belo reco. Mas os outros 16 membros, Senhor, porque são tão calinos? Começa a perceber-se porque vai tudo tão mal na União. Que virá a seguir? Só me ocorre a frase do espanhol que ontem citei!
.

Sem comentários:

Publicar um comentário