sábado, 23 de março de 2013

VEM AÍ A BESTA-FERA !

.

Na história da capuchinho vermelho, um caçador, depois de ouvir os gritos da menina antes de ser devorada, foi ao local do crime e retirou-a intacta do ventre do lobo mau e ainda fez o resgate da avozinha. Na versão portuguesa, a menina saiu do bandulho da besta-fera com uma dívida de 160 mil milhões, sem crédito internacional e com a troika à perna. É um fim menos feliz e os portugueses não se conformam.  Confortava-os a ideia de que a besta-fera estava morta.
De supetão, dizem-lhes que o lobo ainda mexe e vem aí outra vez, provavelmente com apetite mais devorador. O lusitano que é destemido, segundo rezam os compêndios escolares, vacila e borra-se: tudo, menos ter a besta outra vez a rondar a porta. Surgem  alarmes, tocam os sinos, organizam-se petições. Mas nada é bastante para o lusitano travar a tripa cagueira e as fraldas descartáveis esgotam.
Dizem alguns incautos que não há razão para alarme—que a democracia aguenta, que faz parte do jogo dar corda ao animal, que este está desacreditado. O animal está desacreditado, é verdade; mas, infelizmente, também há muito eleitor que é animal acreditado com direito a voto.
Que fazer? Proponho que cantemos todos juntos a "Grândola", a uma só voz, no dia em que o lobo abra a boca para asnear na televisão paga com o suor do nosso rosto.
.
Nota: Marginalmente, informo que a petição on line, a pedir a ausência da besta-fera na RTP, em cerca de 24 horas já foi subscrita por mais de 120.000 lusitanos—para ter lucidez, nada melhor que borrar a fralda!
.

Sem comentários:

Publicar um comentário