domingo, 26 de maio de 2013

MARTELO É QUE SABE !

.

O Professor Martelo diz que, com este governo, vivemos às pinguinhas e que isso se explica pelo peso e pela política do Ministro das Finanças, Vítor Gaspar.
Não posso estar mais de acordo, como com quase tudo que Martelo diz. E explico:
Imagine-se Gaspar no Conselho de Ministros—Acho........................  que........................   é........................ altura........................ de........................ começar........................ a........................ pensar........................  em........................ pedir........................ à........................ troika........................ para........................ permitir........................ que........................ o....................... défice........................ seja........................ de........................ 4,5%........................ e........................ não........................ de........................ 4%........................, bem........................ como........................ se........................ desça........................ o........................  I........................ R........................ C............................ porque........................ ........................ ........................ ........................
São 11 horas da noite, os ministros já estão em casa de pantufas a ler n' "A Bola" o trajecto meteórico de Jesus na Liga Nacional, na Liga Europa e na Taça Lusitana, e Gaspar ainda não chegou ao fim. No Conselho seguinte, Gaspar retoma o tema e diz outra vez: Acho........................ que........................
Aí, Portas levanta o braço e propõe: Oh colega, ponha isso por escrito e traga daqui a uma semana para ser mais rápido.
O problema é que o "Office" de Gaspar não tem "Word" pela singela razão de que toda a memória da sua máquina está saturada com o Excel. Façamos pois um peditório nacional, quiçá internacional, para lhe ofertar um computador só com "Word", versão "TATE-BITATES", a ver se o homem se despacha.
.

Sem comentários:

Publicar um comentário