quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

CESTEIRO QUE FAZ UM CESTO FAZ UM CENTO

.
O juiz desembargador Rui Rangel, em 2015 e num programa televisivo, fez declarações sobre o processo decorrente da "Operação Marquês" que lhe valeram a aplicação, pelo Conselho Superior da Magistratura, da pena de 15 dias de multa. Rangel recorreu para o Supremo Tribunal de Justiça que confirmou aquela pena.
Entretanto, a 24 de Setembro de 2015, num recurso apresentado pela defesa de Sócrates, Rangel decidiu a favor do Zezito, tendo determinado que não se justificava a continuação do segredo de justiça na "Operação Marquês", o que permitiu à defesa de Sócrates ter acesso a todos os autos da investigação.
No passado dia 2, deu entrada no Tribunal da Relação de Lisboa novo recurso de José Sócrates, no âmbito da Operação Marquês, que foi distribuído no dia 13... ao juiz Rui Rangel! Parece anedota, mas é verdade. Em face disto, o Ministério Público pediu o afastamento do juiz da apreciação desse recurso, alegando “desconfiança sobre a imparcialidade do magistrado”. Não sei quem vai desatar este nó, mas espera-se que não saia uma emenda pior que o soneto. 
O mais extraordinário é que, segundo consta, se Rangel for afastado por "desconfiança sobre a sua imparcialidade", continuará a ser juiz desembargador!... Ó égua!...
.

Sem comentários:

Publicar um comentário