segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

QUILOLOGIA VS KILLOLOGY

.

Sabe o que é Quilologia? Segundo o "Dicionário Priberam", é um tratado sobre o quilo. Não estou de acordo com o dicionário e explico porquê. O mesmo dicionário diz que tratado é obra em que se trata de uma arte ou de uma ciência; e que "logia" é um elemento (sufixo, diria eu) que exprime a noção de estudo; e ainda  que ciência é o conjunto de conhecimentos fundados sobre princípios certos. Logo, Quilologia não é um tratado. É antes estudo que permite obter conhecimentos fundados sobre o Quilo, o que constitui uma ciência. Definitivamente, Quilologia é a ciência que estuda o Quilo — ponto final. De momento, não é precisa a intervenção do Professor Malaca Casteleiro.
Mas o Português não é a única língua do planeta. É a quinta, por ordem do número de falantes, (a primeira no Hemisfério Sul), mas há mais: por exemplo o Inglês. E, nesta língua, há um neologismo inesperado que é Killology! Veja lá!...
Mas não é o que o leitor está a pensar, penso eu: não tem nada a ver com quilo, quimo, arroba, arrátel, onça ou quintal. Tem, sim, a ver com o verbo to kill que significa matar. Assim Killology é a ciência que estuda o acto de matar. Mas atenção: há matar e matar.
Para complicar, a humanidade pode ser dividida em três tipos de gente: as "ovelhas", os "lobos" e os "cães pastores". A  Killology aplica-se apenas aos cães pastores que podem matar para proteger as "ovelhas" dos "lobos". Tal e qual. É o polícia que mata o bandido para defender outra pessoa — ou defender-se a si —, o soldado que mata o inimigo para o impedir de invadir a sua pátria, e por aí fora. A Killology foca-se no impacto psicológico que o matar tem em quem mata por dever.
Um dos maiores especialistas em Killology é o tenente-coronel reformado Dave Grossman, ex-professor na Academia Militar de West-Point, autor do livro "On Killing" e por cujas aulas já passaram milhares de polícias, fuzileiros navais, comandos, agentes do FBI e da CIA, seguranças das embaixadas e muito mais. O homem passa a vida com a mala na mão para dar cursos de Killology em toda a América do Norte e no estrangeiro.
Sabia eu que há sereias profissionais, designers de cuecas, provadores de rações para cães, criadores de sanguessugas, limpadores de patilha elástica nos pavimentos, polidores de moedas, buscadores de bolas de golf perdidas e coisas assim; mas professor de Killology é a primeira vez que ouço falar. Hei-de ver se no Dicionário do Professor Casteleiro há alguma coisa tipo Limposebologia.
.

Sem comentários:

Publicar um comentário