domingo, 19 de fevereiro de 2017

DE ENCRENCA EM ENCRENCA

.

[...] Eanes, Soares, Sampaio e Cavaco cometeram erros, consentiram abusos, mas nunca se arriscaram ao ridículo e às querelas pueris, a que o vivaz Marcelo diariamente se presta. A República pede por força um Presidente; e a nossa, com origem militar, deu a essa personagem um papel, aliás, pouco a pouco limitado, mas que, de qualquer maneira, ainda é excessivo e lhe permite uma ingerência constante na política partidária.

Com Marcelo em Belém não consigo conceber onde 
iremos parar. Ou consigo: iremos de encrenca em 
encrenca até ao desastre final.



Vasco Pulido Valente in "Observador"

Sem comentários:

Publicar um comentário