sábado, 22 de setembro de 2012

COMBATER O MAL COM AS SUAS CAUSAS

.
 


O arcebispo de Melbourne, na Austrália, confirmou que, só no estado de Victoria, mais de 600 crianças foram vítimas de abusos sexuais por padres, desde 1930. Tal número anda próximo de 100 crianças molestadas por ano naquele estado. Infelizmente, este é apenas um caso entre múltiplos surgidos na imprensa mundial todas as semanas.  Nos Estados Unidos, em Julho passado, Monsenhor William J. Lynn, ajudante do Arcebispo de Filadélfia, foi condenado a 3 anos de prisão por encobrir abusos de padres sobre crianças no arcebispado. E este mês, o Bispo Robert W. Finn, de Kansas, foi condenado a 2 anos de cadeia por encobrimento de padres pedófilos abusadores. Os exemplos possíveis são muitos e observam-se um pouco por todo o mundo.
Não tenho dados sobre a frequência com que o crime é cometido fora da Igreja Católica e, por isso, não emito juízos precipitados; mas suspeito que a frequência de tais comportamentos é superior com sacerdotes que na população geral, o que constitui um paradoxo, considerando os ensinamentos da doutrina e a sua filosofia.
Alguma coisa está errada na génese do fenómeno, erro que vem de muito mais alto que o nível dos padres criminosos e não é revisto até à raiz. Há seguramente razões psicológicas claras e explicáveis para esta chaga que se tenta esconder e negar, e não perceber e mudar as suas origens. E tal é feito conscientementede forma paradoxalem nome da necessidade de conservar as causas. 
Preocupante!
.
Leia mais sobre este tema aqui e aqui
..

Sem comentários:

Publicar um comentário