sábado, 27 de fevereiro de 2010

666


Já ouviram, seguramente, falar do Dia da Besta, que foi em 6 de Junho de 2006. E porquê nesse dia? Porque o número da besta é 666.
O último livro da Bíblia, o Livro do Apocalipse, ou da Revelação, diz no ponto 13:
.
E eu puz-me sobre a areia do mar e vi subir do mar uma besta que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre os chifres dez diademas, e sobre as suas cabeças um nome de blasfémia... E vi subir da terra outra besta e tinha dois chifres semelhantes aos de um cordeiro... E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita ou nas suas testas; para que ninguém possa comprar, ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome. Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento calcule o número da besta, porque é o número de um homem e o seu número é seicentos e sessenta e seis.
.
Palavras enimáticas e obscuras! Pelo menos para mim. Significam, de facto, alguma coisa? Têm sentido? Para não pensar muito? Provavelmente para não pensar, não fosse o caso de 666 ser um número complicado. Não sei qual o nível de conhecimento matemático na era em que isto foi escrito mas, se não foi acaso, revela conhecimento avançado dos números.
666 é um número palindrómico (capicua) e um repdígito (constituído pela repetição de um dígito)
É a soma dos primeiros 36 números naturais: 1+2+3+...35+36 = 666.
Os números primos até 666 são 121, o quadrado do número de números primos até 36, que são 11.
É um número abundante, o que significa que o dobro da soma dos divisores que tem é superior ao duplo dele. Por exemplo, 24 (para ser mais simples) também é abundante porque 2x (1+2+3+4+6+8+12) = 60 > 24x2 = 48. Neste caso, a abundância é 12: 60-48 = 12.
Em numeração romana, 666 é representado po DCLXVI, em que se usa uma vez cada um dos símbolos numéricos romanos inferiores a mil, por ordem decrescente dos respectivos valores: D-500, C-100, L-50, V-5 e I-1.
É também um número harmónico, um número de Smith, e membro do Índice da sequência de Padovan: 3, 4, 5, 7, 8, 14, 19, 30, 37, 84, 128, 469, 666, 1262,... que são coisas matemáticas muito complicadas. Acumula propriedades pouco frequentes simultâneamente num mesmo número. Acaso? Utilização intencional? Intervenção do Além?
Não sei. Sei que o número ocupa muitos místicos e alegados profetas. Tornou-se símbolo do Anti-Cristo, ou do Demónio. Aparece ligado a sub-culturas como as bandas heavy metal. E é objecto de superstições, com repulsa pelo número. Chama-se a isso, hexacosioihexecontahexafobia. Tome nota, pois dá para brilhar em qualquer conversa.

Sem comentários:

Publicar um comentário