quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

BASTIDORES SOCRÁTICOS

.
.
Mas, convidado pelo deputado socialista João Serrano a revelar "algum facto objectivo que possa concluir ter havido interferência do Primeiro-ministro, ou influência, ou eventuais pressões - não faladas - para alterar ou impedir a publicação de notícias", Henrique Monteiro ironizou: "Na verdade nunca ninguém me bateu".
E, foi na sequência desta pergunta que o director do Expresso revelou ter recebido um telefonema do primeiro-ministro com o intuito de impedir o jornal de publicar uma notícia sobre a licenciatura de José Sócrates, concluindo: "Se isto não é pressão ilegítima então não há pressões ilegítimas".
Henrique Monteiro esclareceu ainda que o facto de não ter cedido à "pressão" de José Sócrates "teve consequências", designadamente, a dificuldade que o jornal, a partir daquele momento, passou a ter, de obter informações por parte do Governo.

In Expresso online

Sem vir a propósito (claro!), Ralph Emerson dizia, a respeito de outra personalidade (claro!): Quanto mais alto ele fala da sua honra, mais depressa eu vou contar as colheres de prata.

Sem comentários:

Publicar um comentário