domingo, 28 de fevereiro de 2010

OS ALCOVITEIROS DO REGIME



Segundo o jornal SOL, o PGR foi informado a 24 de Junho, numa reunião com Marques Vidal e o Procurador Distrital de Coimbra, que havia várias pessoas com os telefones sob escuta no caso “Face Oculta”. Pouco depois, os investigadores da Polícia Judiciária escreviam no processo: "Resulta das intercepções das comunicações de e para os telemóveis utilizados pelos suspeitos Manuel Godinho, Armando Vara e Paulo Penedos, que, pelo menos no dia 29 de Junho, aqueles assumiram como fortemente provável, senão mesmo certo, que os telemóveis por si utilizados, ou pelo menos alguns deles, estariam interceptados." É uma revelação bombástica e os responsáveis do SOL sabem disso.
Hoje, o Diário de Notícias informa que a carta em que Armando Vara é avisado das escutas foi entregue no princípio de Junho. O jornal tem conhecimento completo do teor da missiva - até publica uma fotografia! - e sabe quem foi o autor; e apressa-se a acrescentar: “Mas, a ser verdade que a fuga foi feita através desta missiva, cairá por terra a tese que ontem o jornal Sol fundamentava, segundo a qual só a partir do momento em que o procurador-geral da República soube das investigações os arguidos foram informados da vigilância.”
Isto, se não é, parece o que parece: fugas de informação a conta-gotas, doseadas metodicamente, num jogo de ataque, defesa e contra-ataque entre pessoas altamente colocadas, por interpostos peões dos media. E, o que é mais grave, é serem os que se queixam mais da falta de recato das instituições os principais actores neste teatro de comédia. De comédia porque, prenhes de pretensa esperteza, não percebem o ridículo do papel que desempenham.

Sem comentários:

Publicar um comentário