domingo, 21 de fevereiro de 2010

O PAPA E O "SCANNING" DAS CUECAS



Num encontro no Vaticano com gente ligada à aviação comercial, o Papa Bento XVI achou oportuno emitir opiniões sobre a segurança nos aeroportos. Então, falou sobre os scanners para passageiros que eventualmente podem levar bombas em sítios de recato. E disse, mais ou menos, o seguinte:
Não obstante a ameaça do terrorismo, a primeira coisa a ser salvaguardada é a pessoa, na sua integridade. Compreendendo todos os problemas que o transporte aéreo enfrenta na actualidade, é essencial não perder de vista o respeito pela primazia da pessoa.
Em resumo, o Papa acha mal.
Antes de dar a minha opinião – também tenho direito – traduzo o comentário de um leitor da notícia: Alguém me explica para que serve a opinião do Papa sobre segurança aérea? Ou outro: A seguir, ouvimos a opinião do Dalai Lama sobre os impostos a aplicar aos que recebem altos ordenados.
É isso mesmo. Com todo o respeito, Sua Santidade é a autoridade máxima em matéria espiritual, sem dúvida nenhuma. Mas sobre segurança aérea, seria melhor abster-se de dar conselhos aos profissionais do ramo. Compreendo que, de forma um pouco fora de época, o Papa fique chocado com as imagens dos scanners. Não sei se também fica chocado com os exames médicos feitos a mulheres, como ficam os muçulmanos, mas penso que não. O sexo é uma obsessão da hierarquia católica de que não consegue descolar-se. Provavelmente, o Sumo Pontífice acha preferível correr o risco de um bandido com uma bomba no rabo deitar abaixo um avião, mais uma centena de pessoas, a ver as cuecas anónimas dos passageiros.
Eu não acho.

Sem comentários:

Publicar um comentário