domingo, 17 de agosto de 2014

VAMOS TODOS VIVER NUM ESCAFANDRO ?

.

O que segue são extractos de um artigo publicado no site "The Atlantic", escrito pelo jornalista de matéria científica Charles C. Mann.

Há tempos, o meu jornal informava-me que os glaciares no Oeste da Antárctica, minados pelo mar quente do mundo aquecido, estavam a colapsar e o seu desaparecimento era imparável. A fusão desses gelos vai fazer o mar subir pelo menos 4 pés (± 1,2 m)—eventualmente, 12 pés—mais que suficiente para inundar cidades como Nova Iorque, Tóquio e Bombaim. Porque me interesso por ciência, li dois artigos em que se baseava a notícia. [...]

[...] O segundo artigo, da revista "Science",  tinha estimativas mais precisas: durante o próximo século, os oceanos subirão um quarto de milímetro por ano. Em 2100, a calamidade na Antárctica terá feito subir o nível do mar quase 1 polegada (± 2,5 cm). Os autores acrescentam que nos próximos séculos o processo pode vir a ser um pouco mais rápido.
Que dizer, perante notícias como esta? Por um lado, as alterações na Antáctica parecem ser um desastre impossível de avaliar. Por outro, nunca me afectarão, ou a alguém que conheça, ou aos meus netos. Quanto devo preocupar-me com os meus 40-vezes-bisnetos? Os americanos não se preocupam com a reforma, quanto mais com coisas tão remotas e hipotéticas.[...]

[...] Pascal Bruckner, filósofo francês, no livro "The Fanaticism of the Apocalypse",  escreve que os ecologistas não querem salvar o ambiente, mas salvar a humanidade através da auto-flagelação ascética. [...]

[...]  A fim de meter a humanidade no colete apertado da simplicidade puritana rural, os ecologistas usam o que deviam ser descrições neutrais baseadas em problemas reais (muito CO2 aumenta a temperatura) como arma para que as pessoas aceitem estilos de vida que, de outro modo, recusariam. [...]

E vai por aí fora no mesmo registo, salientando quanto há de incerto no problema das consequências do aumento do CO2 e quanto há de espírito de cruzada e de interesses económicos misturados nestas coisas. A pergunta (minha) é: Alguém acredita seriamente em Al Gore?

.

Sem comentários:

Publicar um comentário