quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

'HANGOVER', VULGO 'RESSACA'

.
Hangover é como os pategos que falam inglês chamam ao que para nós é "ressaca". Tais pategos têm incomensurável experiência da matéria, preocupam-se com ela e estudam-na em profundidade. A newsletter de hoje da revista "The New Yorker" traz uma revisão da situação que pode ser útil para a sua profilaxia e também em caso de emergência, quando o crime é consumado.

Transcreve-se a tradução de parte inicial do artigo, podendo o texto completo ser lido aqui, numa cópia.

 [...] Das misérias que a humanidade sofre regularmente, algumas são pequenas e contudo, enquanto duram,  tão incómodas que se pergunta porque, depois de tanto tempo, não se encontrou remédio para elas. Se os cientistas não têm cura para o cancro, tal faz sentido. Mas a banal constipação, a cólica menstrual? A "ressaca" é outra situação do mesmo género. É uma afecção evitável: não beber. Contudo, as pessoas, através dos tempos encontraram o que lhes pareceu boa razão para recorrer ao álcool. [...]

[...] A "ressaca" atinge o auge quando o álcool que foi metido no organismo é finalmente eliminado—ou seja, quando o nível de álcool no sangue volta ao zero. A toxina foi-se, mas o mal está feito. [...]

Blá. blá, blá... (Ler tudo porque é matéria de exame. Está em inglês, mas é muito fácil)
..

Sem comentários:

Publicar um comentário