quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

O QUE FAZ FALTA

.
.
Em Agosto deste ano, o Primeiro-Ministro disse que 2013 iria ser "um ano de inversão na  situação da actividade económica em Portugal". Afinal, não vai ser—hoje anunciou que 2013 vai ser um ano muito difícil. E pediu aos portugueses para terem coragem. Os portugueses têm coragem. Não têm é dinheiro—é esse o problema.
Depois afirmou que a actual carga fiscal "não se pode manter indefinidamente". Já todos tínhamos desconfiado. Só ele e o Gaspar é que não. A teta fiscal seca quando o bezerro é sôfrego e este governo é um bezerro com apetite insaciável. Ganda mamão!
Acrescentou ainda estarmos a viver uma das páginas mais difíceis da nossa História. Graças a Deus que avisa porque ninguém tinha dado por isso. A bem dizer, nem percebo onde está a dificuldade. Deve estar enganado, como se enganou com aquela coisa da inversão da actividade económica, penso eu.
Importante, importante, é termos um Primeiro-Ministro experiente, como se vê pela autópsia. E que avisa a malta. Sim, porque já dizia o poeta: quando o pão que comes sabe a merda, o que faz falta é avisar a malta.
.

Sem comentários:

Publicar um comentário