domingo, 26 de janeiro de 2014

A ESPERANÇA FOI DE "VESPA"

.

Em Abril de 2012, António José Seguro declarava sentir "uma enorme satisfação" perante a vitória de François Hollande nas "presidenciais" francesas, a qual, com típica sofisticação retórica, considerou "uma lufada de ar fresco", além de "uma nova esperança" e "uma nova primavera para os povos europeus". Durante quase dois anos, enquanto o sr. Hollande arruinava a economia local e afugentava os ricos (e os "ricos") à custa de impostos dignos do Guinness Book, o idílio manteve-se imaculado. Agora, que o sr. Hollande enfim desceu à realidade, também conhecida por "austeridade", o idílio acabou. O dr. Seguro deixou de falar em público do herói gaulês e, em privado, confessa-se traído, não necessariamente pela actriz que o sr. Hollande visita em escapadelas de motorizada. É o destino de inúmeros romances e de todos os socialistas europeus, humanistas, solidários e irresponsáveis.
.
Alberto Gonçalves in "Diário de Notícias"
.

Sem comentários:

Publicar um comentário