sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

O MISTÉRIO DO SER

.

Max Planck, um dos pioneiros da Teoria Quântica, dizia ser expectável que, com o desenvolvimento da ciência, diminuísse a crença no milagre, no sentido de poder sobrenatural. Mas acrescentava não parecer ser esse o caso actualmente, tendo em conta a popularidade do ocultismo, do espiritualismo e de todas as variantes.
Segundo ele, é característico dos nossos dias, apesar dos avanços e conquistas da ciência, que, quer o homem inculto, quer o culto, se voltem para a luz do mistério, face aos problemas comuns da vida.
Haverá na natureza do homem e da sua psyche uma área onde a ciência não entra. É inata, constitucional, muito provavelmente genética. Tem algum significado ontológico? Essa é a grande interrogação—valorizada pelos teístas, é minimizada pelo ateu que a considera apenas fenómeno a aguardar compreensão.
Voltando a Planck, recorde-se o que dizia sobre as teorias científicas e se aplica também aqui: uma verdade científica não triunfa porque se convence os seus opositores, fazendo-os ver a luz, mas antes porque eles morrem e as novas gerações aceitam essa verdade. Mesmo no sobrenatural, a evolução conta!
.

Sem comentários:

Publicar um comentário